Our site is being updated. More on Miya soon.
Uma lista completa dos termos técnicos para enriquecer seus conhecimentos sobre eficiência de sistemas urbanos de abastecimento de água e gestão de ANF – Água não Faturada
Dicionário de termos

Uma das tarefas assumidas pela Miya é aumentar a sensibilização para questões relacionadas com a gestão da água. Este glossário preparado por especialistas da Miya visa ajudar os leitores a ampliar sua compreensão sobre o assunto.

 

  • Controle Ativo de Vazamentos (CAV): O processo pelo qual os vazamentos não reportados são detectados e reparados. Este procedimento contrasta com o controle passivo de vazamentos. Os vazamentos não-visíveis são responsáveis por mais de 90% do volume total de perdas reais de água. Pequenos vazamentos ocultos que muitas vezes vazam durante vários anos, perdem mais água do que os que afloram à superfície. O Controle Ativo de Vazamentos é composto por atividades bem orientadas e bem geridas de detecção de vazamentos para localizar vazamentos não visíveis, estratégias de comunicação para incentivar os clientes a informar imediatamente vazamentos visíveis, e procedimentos eficazes de gestão para assegurar o reparo rápido e com boa qualidade.

 

  • Leitura Automatizada de Hidrômetrosuto (AMR): Leitura Automatizada de Hidrômetros: sistema que permite leituras freqüentes e precisas assim como a transferência dos dados das medições. Essa tecnologia permite uma melhor análise da situação dos hidrômetros individuais, dos vazamentos e de usos não autorizados. Para os sistemas de abastecimento urbanos, essa tecnologia fornece ferramentas para melhorar a análise das perdas de água, do balanço de água e para a identificação de arrebentamentos de redes. Conseqüentemente contribui para a melhoria da gestão da redução da ANF.

 

  • Perdas Aparentes: Perdas Aparentes: Incluem todos os tipos de imprecisões de medição associadas com os medidores dos clientes, bem como erros de manipulação de dados (leitura de medidores e faturamento), além de consumos não autorizados (fraudes e conexões ilegais). As Perdas Aparentes são denominadas de "Perdas Comerciais" pelo Banco Mundial e em alguns países o termo enganoso "perdas não-técnicas" também é usado.

 

  • Consumo Autorizado: O volume de água consumido por clientes regulares, pelo operador do sistema e outros que estão implícita ou explicitamente autorizados pelo operador a fazê-lo, para usos residenciais, comerciais e industriais. Também inclui a água exportada para outros setores de abastecimento. O consumo autorizado pode incluir usos como combate a incêndios e treinamentos, descargas de redes ou lavagem de redes de esgoto, limpeza de ruas, rega de jardins, fontes públicas, proteção contra geadas, etc. Estes volumes podem ser medidos ou não medidos, faturados ou não faturados.

 

  • Pressão média noturna:É a pressão média ponderada em uma zona de pressão durante o período em que se observa a mínima vazão noturna.

 

  • Tempo de conhecimentowareness Time:O tempo entre a ocorrência de um vazamento não reportado e o momento em que a operadora toma consciência da sua existência.

 

  • Vazamentos Inerentes: É a componente dos vazamentos que não é afetada pelo Controle Ativo de Vazamentos. Consiste geralmente de vazamentos muito pequenos, e que não são passíveis de detecção com as tecnologias conhecidas atualmente.

 

  • Consumo Autorizado Faturado: É a componente do Consumo Autorizado que gera receita para a operadora (também conhecido como Água Faturada). É igual ao Consumo Faturado Medido mais o Consumo Faturado não Medido.

 

  • Consumo Medido Faturadoilled: É todo o consumo medido que também é faturado. Inclui todos os grupos de clientes, tais como doméstico, comercial, industrial ou institucional, e também inclui a água exportada medida e faturada.

 

  • Consumo Não Medido Faturado: É todo o consumo faturado que não é medido, mas é calculado com base em estimativas ou normas. Pode ser um componente muito pequeno em sistemas totalmente micromedidos, mas pode ser a componente chave em sistemas onde o índice de micromedição é baixo. Essa componente também pode incluir água exportada não medida, mas faturada.

 

  • Avaliação Bottom-up: Refere-se às avaliações feitas a partir da mínima vazão noturna em DMCs para estimar a vazão dos vazamentos da área.

 

  • Arrebentamento: Uma falha estrutural em um tubo de rede ou ligação de água que resulta em um vazamento. Este termo é intercambiável com vazamento, embora normalmente seja utilizado para grandes vazamentos.

 

  • Bursts And Background Estimates (BABE): estimativa baseada em componentes de perdas anuais em diferentes partes do sistema de distribuição para qualquer combinação particular e circunstâncias locais, isto é, pressão, freqüência de vazamentos, vazão dos vazamentos, número ligações de água, extensão de redes, método de controle de vazamentos, qualidade dos serviços, e padrão de descarga de redes.

 

  • PRAA: Perdas Reais Anuais Atuais.

 

  • Rede em cascata: um método de fechamento de DMCs onde a água flui através de um DMC para outro. Isso geralmente implica na instalação mais de um macromedidor em alguns DMCs, e é uma situação que deve ser evitada.

 

  • Perdas Comerciais: ver Perdas Aparentes.

 

  • Perdas Reais Anuais Atuais (PRAA): É o volume corrente de perdas reais anuais. As PRAAs tendem a aumentar na medida em que as redes de distribuição se tornam mais velhas. Esse crescimento pode ser contido por meio de uma adequada política de controle ativo de vazamentos.

 

  • Imprecisões de hidrômetros de clientes e erros de manipulação de dados: Perdas aparentes causadas pela imprecisão de medidores de clientes, erros de leitura de medidores e de operação de sistemas de faturamento.

 

  • Consumo noturno: Volume de água utilizado pelos clientes durante o período da mínima vazão noturna.

 

  • Distrito de Medição e Controle (DMC): Pequena área macromedida, parte de uma zona de pressão ou de um setor de distribuição de água.

 

  • Implantação de DMCs: Grandes redes de distribuição, especialmente aquelas pobres em infra-estrutura, não podem ser geridas de forma eficiente sem serem divididas em zonas e subzonas de abastecimento (Distrito de Medição e Controle - DMC). Essa divisão é essencial para se obter uma compreensão do consumo e das perdas de água nas diferentes partes da rede. Quando essas informações estão disponíveis, ações adequadas podem ser tomadas. Os DMCs reduzem substancialmente o tempo de conhecimento dos vazamentos e são um pré-requisito para a priorização das ações de pesquisa e reparo de vazamentos.

 

  • Nível econômico de perdas: Nível de perdas reais para o qual o valor presente do custo de operação das redes de distribuição de água é mínimo.

 

  • Gerenciamento de Energia: A água tem um peso específico elevado e o fornecimento de água desde a fonte até as torneiras dos consumidores tem uma grande quantidade de energia incorporada. A eficiência energética pode ser alcançada através da melhoria física das redes de distribuição, reduzindo as vazões de perdas reais e aparentes no sistema, e otimizando o funcionamento hidráulico da rede, minimizando, portanto a geração de carbono do abastecimento de água.

 

  • Descargas de Redes: É a indução de vazão nas tubulações pela abertura de válvulas de descarga.

 

  • SIG: Sistema de Informações Geográficas.

 

  • Ponto de Equilíbrio Hidráulico: Numa rede de distribuição complexa, alimentada por várias adutoras, existem pontos da rede onde as vazões são muito próximas de zero num determinado momento, e o abastecimento dos clientes se dá por rotas diferentes em ambos os lados. Esses pontos de equilíbrio hidráulico são sempre adequados para fechamento de setores ou DMCs, uma vez que os fechamentos nesses pontos causam distúrbios mínimos na operação.

 

  • Indicador Infraestrutural de Perdas (IIE): É um índice que indica a qualidade da gestão das redes de distribuição (manutenção, reparos e reabilitação) para o controle das perdas reais. É a razão entre as Perdas Reais Anuais Atuais (PRAA) e as Perdas Reais Anuais Inevitáveis (PRAI) na pressão normal de operação. É calculado pela fórmula IIE = PRAA / PRAI.

 

  • Vazamento (Leak): é o escape de água através de um orifício, quebra, fissura ou outras aberturas. Veja também Arrebentamento.

 

  • Vazamento e extravasamento em reservatórios: água perdida em reservatórios em conseqüência de falhas estruturais ou por problemas técnicos ou operacionais. 

 

  • Vazamento em ligações de água até o hidrômetro: água perdida por vazamentos ou arrebentamentos nas ligações de água desde a conexão à rede até o hidrômetro. Vazamentos em ligações de água podem ser vazamentos reportados, mas são predominantemente pequenos vazamentos que não afloram e que portanto duram por longos períodos.

 

  • Vazamento em adutoras e anéis primários: água perdida por vazamentos ou arrebentamentos nas adutoras e anéis primários. Estes podem ser tanto pequenos e não reportados (ex. vazamento em juntas) ou grandes arrebentamentos reportados.

 

  • Tempo de Localização: é o tempo decorrido entre o momento em que a operadora toma conhecimento do vazamento até o momento em que o vazamento é localizado.

 

  • Perdas de Água: As perdas de água constituem os volumes de água disponibilizados num determinado sistema que não são apropriados como volumes de consumo autorizado. São divididas em perdas aparentes e perdas reais.

 

  • Gerenciamento da micromedição: Ações de teste, manutenção e substituição de hidrômetros que visam minimizar a submedição, e conseqüentemente maximizar o volume de água geradora de receita..

 

  • Vazão Mínima Noturna: É a mínima vazão disponibilizada para uma determinada área, que geralmente ocorre durante a madrugada. O período de avaliação da MVN é normalmente de 1 hora.

 

  • Fator Noite Dia (FND): É o fator pelo qual as perdas noturnas (calculadas a partir da Mínima Vazão Noturna) podem ser multiplicadas para se obter as perdas diárias. O FND é geralmente menor que 24 em conseqüência das baixas pressões durante o dia.

 

  • Água não Faturada (ANF): É a diferença entre o volume de água disponibilizada para o sistema e o volume de água gerador de receita. Um dos maiores desafios das operadoras de água é como gerenciar altos índices de ANF. Altos índices de ANF refletem grandes volumes de água sendo perdidos por vazamentos (perdas reais), não sendo cobrados, sendo medidos com erros (perdas aparentes), ou ambos.

 

  • Software de Gerenciamento de ANF: Um software de gerenciamento de água não faturada disponibiliza ferramentas para o efetivo gerenciamento das ações de redução de ANF, incluindo:
    • Análises e sínteses de dados obtidos em DMCs
    • Balanço de Água para DMCs e Setores de Abastecimento
    • Gerenciamento e priorização de atividades de pesquisa de vazamentos
    • Relatórios de desempenho e mapas temáticos
    • Análises de desempenho de ativos
    • Planejamento de reabilitação de redes
    • Construção e manutenção de modelos hidráulicos
    • Armazenamento e visualização de eventos na operação das redes
    • Esse software tem interfaces com uma grande quantidade de sistemas existentes incluindo sistemas SCADA, dataloggers, SIG, Gerenciamento de Serviços e Sistemas Comerciais. Os especialistas da Miya desenvolveram os mais avançados softwares de auditoria de água

 

  • Controle Passivo de Vazamentos: é o controle de vazamentos executado por meio de reparo apenas dos vazamentos reportados para a operadora.

 

  • Reparo de tubulações: Os vazamentos não visíveis correspondem a mais de 90% do total de volume de perdas de água. Pequenos vazamentos não visíveis, que podem durar anos, perdem mais água que arrebentamentos aflorantes. Reparos de boa qualidade, como parte do Controle Ativo de Vazamentos, são uma forma econômica e prática de conter esses vazamentos.

 

  • Fator de Correção da Pressão (N1): se um vazamento (L0) é ou medido ou estimado a uma dada pressão (P0), para estimar o vazamento (L1) para uma pressão (P1) a pode ser utilizada a fórmula :L1/L0 = (P1/P0)^N1
    Esse método é freqüentemente usado para converter vazamentos estimados a 50 mca de pressão em vazamento para a pressão normal de operação.

 

  • Gerenciamento de Pressão: O gerenciamento de pressão envolve a redução da pressão em excesso assim como a redução da variação da pressão. Essa é a ação de redução de vazamentos de melhor benefício, em função da relação direta entre pressão e vazão dos vazamentos. Ela ajuda a reduzir a freqüência de novos arrebentamentos e, portanto, estende a vida útil da infra-estrutura. As empresas do grupo Miya desenvolveram e implementaram os mais avançados sistemas de controle de pressão, e a Miya investe regularmente em pesquisa e desenvolvimento para aprimorar essa tecnologia.

 

  • .Válvula Redutora de Pressão (VRP): é uma válvula de controle colocada nas rede que reduz e mantêm a pressão de jusante, por meio de vários métodos como pressão fixa, modulada por tempo, ou modulada pela vazão.

 

  • Taxa de Crescimento de Vazamentos: é a taxa que representa o crescimento dos vazamentos entre dois períodos de controle ativo de vazamentos. Essa taxa pode ser medida pela análise das vazões de longo termo e pelos registros de reparos de vazamentos. É usualmente expressa em litros por ligação por dia por ano.

 

  • Perdas Reais: As perdas reais compreendem vazamentos e extravasamentos em reservatórios, vazamentos em adutoras e redes de distribuição, e vazamentos nas ligações de água até o hidrômetro. As perdas reais são denominadas de perdas físicas pelo Banco Mundial.

 

  • Tempo de reparo: é o tempo decorrido entre o momento em que a operadora localiza o vazamento até o momento em que o vazamento é reparado.

 

  • Vazamento Reportado: é o vazamento que passa a ser de conhecimento da operadora sem que nenhum serviço de pesquisa seja realizado. Geralmente são vazamentos que afloram à superfície e se tornam visíveis, ou arrebentamentos que geram deficiência no abastecimento de clientes.

 

  • Água Faturada: é a componente do consumo autorizado que gera receita para a operadora, também denominado de consumo autorizado faturado. É composta pelo consumo medido faturado e pelo consumo não medido faturado.

 

  • Rodízio no Abastecimento: é o racionamento do abastecimento de água pela disponibilização de água para partes dos setores de abastecimento por períodos limitados, muitas vezes de acordo com uma escala programada.

 

  • Duração do Vazamento: é o tempo total de duração de um vazamento desde sua ocorrência até o momento do seu reparo.

 

  • SCADA (Sistema de Supervisão, Controle Aquisição de Dados): sistema informatizado de obtenção e análise de dados em tempo real.

 

  • Setor de Abastecimento: É a parte do sistema de distribuição de água, geralmente de grande porte e muito maior que um DMC e normalmente definido por limites naturais ou construídos, como rios ou ferrovias.

 

  • Teste por isolamentos parciais: É um teste que tem por objetivo a localização de vazamentos. É realizado por meio do isolamento progressivo de partes das redes que compõe uma área macromedida enquanto as vazões são monitoradas. A diminuição da vazão correspondente a cada fechamento é analisada comparativamente à demanda da respectiva área visando avaliar a vazão dos vazamentos.

 

  • Volume aduzido: É o volume de água tratada disponibilizado para um sistema de distribuição isolado, para o qual balanço de água se refere, após as correções das incertezas da macomedição.

 

  • Análise Top-Down: É a análise que visa a avaliação das várias componentes ANF por meio do balanço de água.

 

  • Treinamento: É uma das missões da Miya propagar o conhecimento aos profissionais das operadoras de sistemas de água, a fim de garantir a aplicação das melhores práticas de gestão da perda de água durante o período do projeto e especialmente após os serviços da Miya serem concluídos. O compartilhamento e transferência de conhecimentos é efetuada através da capacitação dos gestores e pessoal das operadoras, buscando um alto envolvimento e integração com as equipes de trabalho durante todo o processo, visando garantir que esse conhecimento seja incorporado pela operadora e utilizado em todo o seu potencial.

 

  • Perdas Reais Anuais Inevitáveis (PRAI): As perdas reais não podem ser totalmente eliminadas. O volume de mínimo de perdas reais anuais que pode ser obtido representa o menor volume de perdas reais que tecnicamente pode ser alcançado tecnicamente num sistema muito bem gerido e mantido. A equação padrão para cálculo da PRAI foi desenvolvida e testada pelo Grupo Tarefa de Perdas de Água da IWA. Ela considera:
    • Os vazamentos inerentes;
    • Os vazamentos e arrebentamentos reportados
    • Os vazamentos não reportados
    • A relação entre a pressão e a vazão dos vazamentos
    • A equação da PRAI exige informações sobre quatro características chave dos sistemas:
    • Extensão de redes, exceto o comprimento das ligações de água
    • Número de ligações de água
    • Extensão das ligações de água entre o alinhamento predial e o hidrômetro.
    • Pressão média de operação do sistema

 

  • Unauthorized Consumption:Consumo não autorizado: qualquer consumo de água não autorizado pela operadora. Inclui a retirada de água por meio de hidrantes para usos que não o combate a incêndio, ligações ilegais e fraudes.

 

  • Consumo autorizado não faturado: É a componente do consumo autorizado mas não gera receita para a operadora. É a soma do consumo autorizado não faturado medido e do consumo autorizado não faturado não medido.

 

  • Consumo medido não faturado: É todo o consumo medido, mas por qualquer razão não foi faturado. Este componente pode incluir, por exemplo, consumos medidos pela própria companhia de água ou água fornecida para órgãos livres de fatura de água, e água transferida para outro setor operacional (água exportada) que é medida, mas não faturada.

 

  • Consumo não medido não faturado: Qualquer tipo de consumo autorizado não medido e não faturado. Normalmente, estes componentes incluem itens como combate a incêndio, descargas de redes, lavagem de redes de esgoto, limpeza de ruas, proteção contra geadas, etc. Num sistema bem controlado, este é um componente pouco significativo, que é freqüentemente superestimado. Teoricamente esta parcela também inclui a água transferida para outro setor (água exportada) que é não medida e não faturada - embora seja um caso não desejável.

 

  • Vazamentos não reportados: vazamentos que podem ser detectados pelo controle ativo de vazamentos, mas não pelo controle passivo de vazamentos.

 

  • Auditoria de Água: uma auditoria de água precisa e detalhada avalia quanto de cada tipo de perda de água está ocorrendo no sistema e quanto é o custo desta perda para a companhia de água. O conceito chave por trás desta avaliação é que a água não deve ser "não-contabilizada". Na condução de uma auditoria para balanço de água, é determinada a quantidade para as principais componentes de consumo de água e de perdas, e um valor é associado a cada componente para avaliar o impacto financeiro para a companhia de água. Um balanço de água preciso e detalhado compõe a base para uma efetiva estratégia de gerenciamento de ANF.

 

  • Conservação de água: uma atividade complementar que é importante para diminuir a demanda de água:
    • Perfil de consumo da água
    • Auditoria de água
    • Análise do consumo residencial
    • Verificações dos ganhos antes e após trocas de equipamentos
    • Programas de substituição de dispositivos sanitários por aparelhos economizadores de água
    • Avaliação do dia de pico de consumo
    • Outras aplicações - controle de vazão
    • Reúso de água

 

  • Teste de pressão Zero: Um teste para identificar se o limite de uma área setorizada é estanque. Uma área do sistema de distribuição é isolada pelo fechamento de válvulas de manobra no limite da área. Se quando da interrupção do abastecimento da área, a pressão da rede reduzir a zero, indica que o limite é estanque.