Our site is being updated. More on Miya soon.
A Miya, como parte da sua solução abrangente de eficiência hídrica, implementa metodologias reconhecidas no setor, incluindo aquelas da International Water Association (IWA).
Metodologias

A Miya é líder de mercado no fornecimento de soluções completas para eficiência em sistemas de abastecimento de água. As soluções da Miya são baseadas na metodologia das melhores práticas desenvolvida pela IWA (International Water Association).


Visão Geral


Em 1996, a IWA constituiu a WLTF (Water Loss Task Force, Força Tarefa contra Perdas de Água). A Força Tarefa foi designada para estudar a problemática das perdas de água, que resultou na padronização da terminologia e dos procedimentos usados para realizar o balanço da água, bem como nos indicadores de desempenho hoje largamente adotados para avaliar tanto o desempenho operacional quanto econômico de um serviço de abastecimento de água.


Os resultados das atividades da Força Tarefa (WLTF) incluíram:


O modelo de balanço de água padronizado com utilização da terminologia internacional
Os indicadores de desempenho para avaliação dos serviços de abastecimento de água
As metodologias e estratégias para aumento da eficiência operacional e redução de perdas de água

 

Muitos padrões internacionais foram desenvolvidos por meio da abordagem da IWA para gerenciamento de perdas de água. Além disso, as estratégias preconizadas pela Força Tarefa (WLTF) consolidaram as "melhores práticas" para reduzir as perdas de água em muitos países.



Balanço de Água Padrão


O principal desafio enfrentado pelas empresas de saneamento é como lidar com os elevados níveis de Água Não Faturada (ANF). A ANF é a diferença entre o volume de água produzida e o volume de água efetivamente faturada.


Altos níveis de ANF revelam volumes extraordinariamente grandes de perdas de água que podem ser ocasionados por vazamentos (perdas reais), ou volumes de água efetivamente consumidos mas que não são faturados (perdas aparentes), ou ambos.
Um balanço de água tem por objetivo identificar e quantificar cada tipo de perda de água existente, e ser a base para o cálculo do custo dessas perdas para a empresa de saneamento. O conceito chave por trás dessa abordagem é o correto diagnóstico, base para um plano de ação de redução da "água não faturada".

 

Estratégias para Redução de Perdas de Água
Abordagem dos 4 Componentes



Os diagramas de ‘4 componentes', mostrados abaixo, são largamente usados para explicar os tipos de atividades que são efetivas no gerenciamento de perdas reais e aparentes de água



Gerenciamento de Perdas Reais


Não é possível eliminar completamente as perdas reais. O menor volume anual que pode ser atingido tecnicamente para perdas reais, em sistemas bem gerenciados e nos quais é feita uma boa manutenção, é conhecido como PRAI (Perdas Reais Anuais Inevitáveis). Com base nas combinações certas de todas as quatro atividades envolvidas no gerenciamento de vazamentos (apresentadas no formato de setas no diagrama), as perdas reais podem ser mantidas em um nível mínimo. Em sistemas modernos três desses métodos provaram ter uma melhor relação custo beneficio no curto prazo:

 

  • Controle ativo de vazamentos
  • Melhoria na rapidez e qualidade dos reparos
  • Otimização do gerenciamento de controle de pressão no sistema

 

 

Em sistemas que foram construídos com materiais de baixa qualidade ou nos quais foram adotadas práticas de instalação abaixo do padrão, sempre será necessário considerar soluções a médio e longo prazos que incluam o gerenciamento de tubulações e ativos.

 

Gerenciamento de Perdas Aparentes


Os quatro componentes a seguir constituem a base para o gerenciamento das perdas aparentes:

 

  • Imprecisões na medição dos consumidores
  • Consumos não autorizados, conexões ilegais, e fraudes
  • Erros na análise dos dados utilizados para faturamento

 


Erros na coleta e na transferência de dados entre os sistemas de medição e faturamento
As perdas aparentes não devem ser superiores a uma pequena porcentagem do consumo autorizado. O combate às perdas aparentes não requerem recursos financeiros substanciais, mas sim um compromisso firme por parte da gestão das empresas de saneamento, vontade política, suporte e incentivos à comunidade.


O trabalho coordenado com os quatro componentes resultará na redução expressiva da quantidade anual de perdas aparentes. Em alguns casos, é recomendável que a redução das perdas aparentes sejam a primeira etapa na estratégia de redução de ANF, visto que requerem um investimento relativamente baixo e podem resultar em um retorno financeiro imediato.